MENU

Governo do Ceará vai dar bolsa a universitários oriundos de escolas públicas

SEXTA-FEIRA
18 AGOSTO
Um bom exemplo de aplicação dos recursos do povo, para o povo.
O governador do Estado do Ceará, Camilo Santana (PT), sancionou uma lei na quarta-feira (16/8), em que regulamenta o pagamento de um salário mínimo (R$ 937) para universitários vindos da rede pública de ensino. 
Eles receberão o valor durante os seis meses iniciais do curso ou meio salário ao longo do primeiro ano.
Para terem direito ao benefício, os alunos precisam ter cursado o ensino médio na rede pública, além de serem membros do programa Bolsa Família e terem recebido uma nota média igual ou superior a 560 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Na primeira etapa, a legislação vai custear mil alunos já matriculados em universidades públicas.
O anúncio do programa, batizado de Avance – Bolsa Universitário, foi feito por Santana durante transmissão ao vivo na página oficial do governo do Ceará pelo Facebook. “Esta é uma importante conquista para a educação do nosso Estado. Estou muito feliz com este momento. Quero dizer a todos os alunos do Ceará que não desistam do sonho do curso superior”, disse o governador.

Bandidos fazem arrastão em ônibus escolar em São José

QUINTA-FEIRA
17 AGOSTO
Ninguém escapa da violência atroz, feroz, covarde. 
Dois homens armados fizeram um arrastão em um ônibus escolar que transportava alunos do ensino médio na zona rural de São José de Mipibu, na noite de quarta-feira (16). 
Os estudantes se deslocavam da escola para suas casas, quando dois homens armados pararam o ônibus e levaram todos os pertences dos estudantes e do motorista. 
Os estudantes foram obrigados a entregar os celulares e outros pertences. Muitos adolescentes relataram ter sido ameaçados com o revólver. Depois de roubar os aparelhos, os criminosos fugiram.
Era por volta de dez e meia da noite. A localidade aonde aconteceu a ação dos bandidos é conhecida por Cidade de Deus, alusão à região carioca que ficou conhecida pelo domínio de facções criminosas. 
A Polícia não tem pistas dos autores da ação criminosa.
Os estudantes estão atemorizados com a violência.


Bolsonaro inelegível ????

QUINTA-FEIRA
17 AGOSTO
A notícia chega pelas mãos - e doces lábios - de Suzanne, maravilhosa:
O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) ficou inelegível após decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que manteve a condenação dele por ofensas à deputada Maria do Rosário (PT-RS). Não é verdade.
A decisão do STJ não afeta os direitos políticos do parlamentar e ele não se torna inelegível porque a lei da Ficha Limpa não se aplica a casos na esfera cível. Bolsonaro é um dos nomes cogitados para disputar a Presidência da República em 2018.
A condenação de Bolsonaro foi em uma ação de indenização por danos morais movida contra ele por Maria do Rosário. Em 2015, o Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) condenou Bolsonaro a pagar uma indenização de R$ 10 mil à deputada por danos morais. Ele recorreu. O STJ, no entanto, confirmou a condenação imposta pelo TJ-DF.
A Lei da Ficha Limpa diz que ficam inelegíveis políticos condenados criminalmente em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado. No entanto, a acusação que pesa contra Bolsonaro não se enquadra na lei.
Um dos autores da Lei da Ficha Limpa, o advogado Marlon Reis explica que Bolsonaro fica fora do alcance da lei porque a condenação foi com base em uma ação cível.
O ex-promotor eleitoral José Carlos Bonilha também afirma que Bolsonaro foi condenado em ação civil por danos morais, o que não gera as consequência da inelegibilidade.
Mas, valeu Suzanne. Oxalá, fosse verdade. Bjs. 

Gravações revelam que tinha assessor traindo o governador Robinson Faria


QUARTA-FEIRA
16 AGOSTO
A cada hora surgem detalhes mais reveladores a respeito dos fatos apurados pela Operação da Polícia Federal envolvendo o governador Robinson Faria, realizada na manhã de terça-feira, 15. O fato ganhou repercussão internacional e já é manchete nos principais jornais e blogs do país. 
A procuradora aposentada da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês, em delação premiada, afirmou que Robinson embolsava cerca de R$ 100 mil por mês, de dinheiro desviado de funcionários fantasmas, na época em que presidiu, por mais de um mandato, a Assembleia Legislativa. Isso foi manchete de ontem.
Para esta quarta-feira, o novo estopim tem sido a divulgação da peça jurídica do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Raul Araújo, na íntegra, pelo jornalista Dinarte Assunção.
As 27 páginas da decisão judicial que determinou prisões, buscas e apreensões são reveladoras. Trazem transcrições de diálogos entre Rita das Mercês e Adelson dos Reis (conhecido como Zé Bonitinho potiguar), diálogos gravados com autorização, quando Adelson entregava dinheiro, a mando de Robinson, para supostamente calar Rita sobre o escândalo.
Em certa altura de um dos diálogos, Adelson revela que tem assessor particular que está roubando o governador Robinson Faria. A revelação fez a Justiça ampliar as investigações. 
Nos meios políticos há o temor que de Adelson parta para delação premiada junto à Justiça, a fim de abrandar possível pena que venha sofrer, tal como fez Rita das Mercês.
A crise atingiu patamares nunca vistos no RN.   

Governo prepara medidas que vão afetar serviço público e concurseiros

QUARTA-FEIRA
16 AGOSTO
Quem estudava se preparando para um dia ingressar no serviço público e conquistar a sonhada estabilidade, vá se preparando para o pior. 
O governo prepara uma série de medidas que afetarão a vida de concurseiros e de servidores da ativa. Além de adiar de 2018 para 2019 reajustes salariais para diversas categorias e definir os salários iniciais para as carreiras de nível médio e superior, vários benefícios serão revisados para gerar economia aos cofres públicos.
As propostas, que serão anunciadas, se limitarão ao Poder Executivo. Entretanto, a ideia é de que o Legislativo, o Judiciário, o Ministério Público Federal e a Defensoria Pública da União adotem normas semelhantes, já que 80% dos orçamentos se destinam à folha de pessoal.
O assunto foi discutido em reunião do presidente Michel Temer com ministros, no Palácio do Planalto. Técnicos ainda estudam se as propostas serão encaminhadas ao Congresso por meio de projetos de lei ou por medida provisória, que teria eficácia imediata. O adiamento dos reajustes no próximo ano resultará em economia de R$ 9,7 bilhões. As demais medidas têm potencial para reduzir os gastos públicos em R$ 70 bilhões.
A primeira delas é fixar remuneração de entrada no serviço público de R$ 2,8 mil para cargos de nível médio e de R$ 5 mil para postos que exigem ensino superior. A ideia do Executivo é de que as carreiras passem a ter 30 níveis e revisões salariais anuais. Com isso, o servidor chegaria ao topo ao longo de 30 anos. “A regra valerá para os novos concursos em 2018. Os editais publicados não serão afetados”, disse um auxiliar de Temer.
Discrepâncias
Estudos da equipe econômica indicam que o nível de remuneração das carreiras federais está acima dos valores de mercado. Em média, um servidor de nível fundamental ganha 3,5 vezes mais do que um trabalhador do setor privado com a mesma escolaridade. Os de nível médio têm salário 2,8 vezes maior e os de nível superior, 2,1 vezes. Em alguns casos, as discrepâncias são ainda mais gritantes.
Um advogado recém-formado recebe, em média, R$ 4,4 mil no setor privado. Já um advogado da União inicia a carreira com salário de R$ 19,2 mil, 4,3 vezes superior. As diferenças também são semelhantes nas carreiras que compõem o ciclo de gestão. Os economistas, que no setor privado ganham R$ 6,4 mil, os administradores, que têm salário  de R$ 4,6 mil, e os contadores, de R$ 4,2 mil, garantem, no setor público, contracheque de R$ 16,9 mil. “Os mais jovens não têm motivação para progredir, não querem assumir cargos e se comprometer”, explica um técnico do Executivo.
Outro problema é a baixa amplitude para a progressão funcional. Muitos servidores chegam aos níveis mais altos da carreira em até 15 anos de trabalho. 
No caso da Advocacia-Geral da União (AGU), a progressão se dá em até seis anos de serviço e o salário chega a R$ 24,9 mil. Técnicos da equipe econômica argumentam que, mesmo com a fixação de um salário inicial de R$ 5 mil, trabalhadores com essa faixa de renda se enquadram entre os 10% mais ricos da população, conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
As mudanças não param por aí. O auxílio-moradia, que chega a engordar os contracheques em até R$ 4,3 mil, será pago por, no máximo, quatro anos, e o valor, reduzido anualmente em 25%, até zerar. Outra regalia que será revisada é a ajuda de custo para mudança. Quando é transferido para outra cidade, o servidor recebe até três salários cheios, sem incidência de Imposto de Renda, tanto na ida quanto na volta. Pela proposta do Executivo, somente um salário será pago quando o servidor se mudar e outro, quando voltar para a cidade em que tem domicílio próprio.
Além dessas medidas, o governo quer desbloquear a tramitação, na Câmara dos Deputados, do Projeto de Lei nº 6.726, de 2016, que regulamenta o teto constitucional para todos os Poderes. A proposta, já aprovada pelo Senado, está engavetada na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público e aguarda designação de relator. Pelo texto, os rendimentos não poderão exceder o subsídio mensal dos ministros do Supremo Tribunal Federal,  de R$ 33,7 mil.
Com o efeito cascata, as medidas irão se refletir também em estados e municípios. 
Efeitos
O limite será aplicado ao somatório das verbas recebidas pelo servidor, ainda que tenham origem em mais de um cargo, aposentadoria ou pensão, inclusive quando originados de fontes pagadoras distintas. 
O projeto de lei determina que integram o teto os vencimentos, salários e soldos ou subsídios, verbas de representação, parcelas de equivalência ou isonomia, abonos, prêmios e adicionais, entre outros. No extrateto estão as parcelas de indenização, previstas em lei, não sujeitas aos limites de rendimento e que não se incorporam à remuneração. É o caso da ajuda de custo na mudança de sede e das diárias em viagens.
O especialista em finanças públicas da Tendências Consultoria, Fábio Klein, avalia que parte das medidas é positiva, mas avisa que os efeitos só virão a médio e longo prazos. Para ele, o ideal é que, além de reduzir salários iniciais, nem todas as vagas abertas sejam repostas. “Estão propondo um tratamento mais próximo ao do setor privado. Mas, adiar o reajuste dos servidores é empurrar uma despesa permanente. Não entendo como querem postergar as revisões e elevar a previsão de deficit. Isso precisa ser melhor detalhado”, destacou. (Fonte: Correio Web). 

Ex-procuradora da Assembleia diz que Robinson desviava R$ 100 mil por mês

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
À medida que as horas vão se passando, novos detalhes vão aparecendo acerca da operação da Polícia Federal que resultou em buscas, apreensões e prisões de pessoas ligadas ao governador Robinson Faria. Já há nos meios políticos quem fale no risco de o governador vir a ser afastado das funções, embora os fatos apurados sejam relativos à época em que ele presidiu a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte. Robinson presidiu o Legislativo por mais de um mandato. De lá elegeu o filho, Fábio Faria, deputado federal mais votado do RN e se credenciou para ser governador, enfrentando as mais tradicionais forças políticas do Estado. 
A mais nova repercussão do caso é uma bomba, com efeitos imprevisíveis. 
A procuradora aposentada Rita das Mercês afirmou em depoimento ao Ministério Público Federal que o governador Robinson Faria, na condição de presidente da Assembleia Legislativa, desviava em proveito próprio cerca de R$ 100 mil por mês.
O depoimento serviu para o ministro Raul Araújo autorizar a Operação Anteros, que levou para à prisão Magaly Cristina e Adelson Freitas. Ambos foram flagrados pela Polícia Federal, a partir, inclusive, de ações controladas, negociando, em nome do governador, o silêncio de Rita das Mercês.
(Com informações do PontoID e do Portal No Ar).

Dois presos são da alta confiança de Robinson Faria

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
As pessoas presas na Operação Anteros (confira mais detalhes nas postagens abaixo) são dois auxiliares da alta confiança do governador Robinson Faria (PSD) Adelson Freitas dos Reis (que se veste de Zé Bonitinho em festas populares) e Magaly Cristina da Silva, que trabalhou com Robinson na Assembleia Legislativa. Adelson é aposentado como assistente técnico administrativo, com salário de R$ 17.025,66 e trabalha na governadoria, na função de oficial de gabinete do governador. Já Magaly exerce cargo de coordenadoria no Projeto Assembleia Cidadã, na Assembleia Legislativa, com salário de R$ 6. 640,06. 
Onze mandados judiciais expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) foram cumpridos, sendo nove de busca e apreensão e dois de prisão. 
Dois imóveis residenciais pertencentes a Faria, a governadoria, no Centro Administrativo do estado, e a Assembleia Legislativa foram os locais onde os policiais federais recolheram documentos e provas para análise.
Robinson é investigado por suspeita de fraudes na contratação de funcionários da Assembleia Legislativa a partir de 2006, época em que presidia o Parlamento. 
Ele também é suspeito de tentar comprar o silêncio de um dos delatores da Operação Dama de Espadas, deflagrada em agosto de 2015. A delatora Rita das Mercês gravou o assessor Adelson Freitas oferecendo vantagens para que ela ficasse calada. 
Em maio deste ano, ao denunciar 24 pessoas investigadas na Operação Dama de Espadas, o Ministério Público afirmou que os desvios dos cofres da Assembleia Legislativa podem superar os R$ 5,5 milhões. 
Segundo as autoridades, os recursos públicos eram desviados por meio da inclusão de funcionários fantasmas na folha de pagamento da assembleia.
O governador divulgou nota no começo da tarde de hoje dizendo que não cometeu nenhuma irregularidade, confia na Justiça, mas reprova a ação empreendida na manhã de hoje. 

Governo do RN quer contratar bombeiros temporários

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
Na prática é o fim dos concursos públicos, efetivado pela nefasta Reforma da Previdência.
O governo do Rio Grande do Norte encaminhou para a Assembleia Legislativa do Estado no último dia 8 um projeto de lei que o autoriza a contratar guardas-vida e engenheiros temporários para o Corpo de Bombeiros. A associação dos bombeiros criticou a medida e classificou como precedente 'perigoso' para a 'terceirização' da corporação.
A contratação de militares temporários precisa ser autorizada por lei porque não é prevista na legislação estadual. (Com informações do G1 RN). 

Polícia Federal amanhece no apartamento do governador Robinson Faria

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
Se não bastasse a crise na segurança pública e em vários setores da administração do Estado, o governador acordou com mais esta dor de cabeça.
Uma Ordem judicial foi cumprida no início da manhã desta terça-feira (15) no edifício onde mora Robinson Faria (PSD), no bairro de Areia Preta, na Zona Leste de Natal.
O governador é alvo de uma operação da Polícia Federal deflagrada nesta terça-feira (15) para apurar crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça.
Cerca de 70 policiais dão cumprimento a 11 medidas judiciais, sendo 02 de prisão e 9 de busca e apreensão. Todos os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça - STJ. 
A operação foi batizada pela PF de "Anteros" e foi desdobramento da delação premiada da ex-procuradora da Assembleia Legislativa, Rita das Mercês Reinaldo. A bronca é grande e a mulher sabe de muita coisa e contou muita coisa, com fartas provas. 
A operação prendeu temporariamente dois servidores da Assembleia Legislativa e cumpriu mandados nos endereços do governador do estado, na Escola da Assembleia e na Governadoria.
O Ministro Raul Araújo Filho, da Corte Especial do STJ, determinou que fosse iniciada investigação preliminar para apurar os crimes de organização criminosa e obstrução da Justiça que estariam sendo praticados pelo Governador do Estado com ajuda de servidores estaduais.
As manobras ilegais tinham por objetivo encobrir que fossem investigados atos do executivo estadual relativos ao desvio de recursos públicos por meio da inclusão de “funcionários fantasmas”, na folha de pagamento da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Norte entre os anos de 2006 até os dias atuais.
É possível que ao longo do dia a Polícia Federal dê mais esclarecimentos sobre o fato.  

Artigo Padre Matias Soares: "Com o Povo"

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
De Roma, via e-mail, chega mais um lúcido artigo do Padre Matias Soares - o blog já sugeriu que ele reunisse estes artigos em livro. Iria em muito servir como fonte de inspiração para os futuros padres (Padre Matias também é formador de Seminário Sacerdotal), como também aos demais leigos. O artigo de hoje reflete a relação da igreja para com o povo. Assim:

COM O POVO
Em tempos idos de primícias sacerdotais, certa vez, em conversa cordial com um político, fui interpelado com o seguinte imperativo: “Padre, o Senhor e o Prefeito do município têm que caminhar juntos!”. 
Ninguém, imediatamente, seja ingênuo que a pensar que a propositiva era de traçar “parcerias em função do bem comum”. Nada disso! A ideia era mesmo de subserviência e relação de poder. Em outras palavras, a questão era: o Senhor faz o meu nome politicamente e eu faço algo pela Igreja, “ou pelo Senhor”, quando for necessário. Fiquei teso a observar e ouvir a proposta que, para mim, parecia algo estranho, já que eu não estava acostumado a determinados tipos de conversas politiqueiras. 
Acontecimentos como este, e tantos outros, das minhas experiências paroquiais, ajudaram-me a entender e defender-me de muitas gaiolas e armadilhas das relações Igreja e Política. 
A maioria dos políticos brasileiros, não todos, parte do princípio de que, como no jogo da política, todas as pessoas e instituições são manipuláveis e compráveis. O pior é que muitos o são, inclusive líderes religiosos. O político esperto tem muitos modos de envolver a quem ele quer manipular e aprisionar.
Há uma passagem de um dos documentos do Concílio Vaticano II, quiça, o mais importante, dependendo da perspectiva hermenêutica, que a trato como uma referência basilar da ação pastoral da Igreja na época pós-conciliar, a saber: “As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo; e não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração. Porque a sua comunidade é formada por homens, que, reunidos em Cristo, são guiados pelo Espírito Santo na sua peregrinação em demanda do reino do Pai, e receberam a mensagem da salvação para comunicar a todos. Por este motivo, a Igreja sente-se real e intimamente ligada ao gênero humano e à sua história” (GS,1). 
Esse trecho deve ser meditado por cada membro da Igreja, muito especialmente, os seus ministros ordenados. Há uma reclamação constante de que a Igreja está faltando com a sua dimensão profética. E atenção! Quando falamos em profetismo, não podemos mundanamente pensar em vínculos políticos partidários e ideológicos. Não! Ser profeta é ser fiel ao Evangelho, com a nossa vida e as nossas palavras. Como já testemunhei várias vezes, falo com convicção que o Papa Francisco é uma benção de Deus para a Igreja e para o Mundo, justamente porque acredito na sua fidelidade ao Evangelho que, segundo ele, “enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Quantos se deixam salvar por Ele são libertados do pecado, da tristeza, do vazio interior, do isolamento. Com Jesus Cristo, renasce sem cessar a alegria” (EG,1). O profetismo, a coragem e a liberdade de Francisco têm no Evangelho a sua fonte.
A Igreja pode dar esse salto de qualidade na sua relação com as formas de poder, quando é perceptível que elas não estão a serviço do povo de Deus. A Igreja é servidora do povo. Ainda mais, Ela é o próprio povo. Não é uma instituição a mais. É sacramento de Jesus Cristo no Mundo e para o Mundo. Eis a razão de ser da sua sacramentalidade: Jesus Cristo, a verdade Luz do Mundo (LG,1). 
A crise de identidade da Igreja e daqueles que a constituem pelo Batismo, e dos demais que são servidores do único povo de Deus, acontece quando há o esquecimento da conversão ao Evangelho. Essa convicção de discípulos missionários é uma das grandes questões da espiritualidade eclesial. Quando não há essa percepção, por causa da nossa corrupção interior e espiritual, saímos do itinerário que pode nos levar à Verdade. Tornamo-nos presas fáceis da vaidade e tantas outras vontades, como o poder e o dinheiro. A Igreja vive sendo assediada constantemente, não porque alguns que a buscam queiram ser Cristãos, ser Igreja e viver dignamente a sua fé, mas porque querem trata-la como uma via de promoção social e política, em detrimento do sofrimento do povo de Deus, a quem a Igreja, como Mãe e Mestra, tem a missão de amar e cuidar a exemplo do Mestre e Senhor, Jesus de Nazaré.  
Motivado e com base neste ensinamento do Concilio, sempre afirmei o seguinte: “quem está com a Igreja, está com o povo, e quem está contra a Igreja, está contra o povo, que é de Deus”. 
O Concílio fala de sofrimentos e alegrias. Em cada contexto de nossos Municípios, Estados e País, quais são os sofrimentos e as alegrias do povo? Qual é o papel de protagonismo que a Igreja tem nos dias de hoje? Será que ela tem? Ou será que perdeu? Mas, se perdeu, perdeu por quê? Será que há o discernimento acerca da nossa fidelidade ao Evangelho? Só uma Igreja livre pode ser sinal de libertação para si e para o povo. A causa da sua liberdade é o próprio Cristo, com a sua vida e a sua obra. Nada mais! Essa mesma convicção faz com que o servo deseje agradar só a Jesus Cristo (Gl 1,10).
A conversão pastoral, sobre a qual tanto é falada, passa também por essa preocupação de saber a quem servimos. O que estamos realmente fazendo como testemunhas de Jesus Cristo? Como vivemos e qual o referencial do nosso apostolado? Como fazemos a experiência genuína da nossa Sequela Christi, na contemplação do mistério e da espiritualidade da Cruz (Edith Stein, Dietrich B.)? Está claro no Evangelho (Mt 16,24). 
Há um caminho a ser feito pela Igreja, que não foi negado pelo Concílio, mas enfaticamente incentivado. A Igreja, através dos seus ministros mais especificamente, não pode titubear em estar ao lado do povo. Sem demagogia, e sim com amor de Mãe e convicta da ação do Espírito Santo, que desde os primórdios, foi e sempre será a sua força. 
Por fim, lembremo-nos da orientação de Jesus, quando estava enviando os Apóstolos: “eis que vos envio como ovelhas entre lobos. Por isso, sede prudentes como as serpentes, e sem malícia como as pombas” (Mt 10,16). No conjunto, Jesus nos mostra que desafios encontramos na ação missionária, mas sem medo e atentos aos sinais dos tempos, com amor à Verdade e a Justiça. Assim o seja!
Pe. Matias Soares - Arquidiocese de Natal

Governador muda comando da Polícia Militar no RN

TERÇA-FEIRA
15 AGOSTO
Na governadoria, o cima é de quase desespero com a escalada nunca vista da violência no RN. Para tentar dar novo fôlego ao combate à criminalidade, o governador decidiu fazer como fazem os dirigentes de clubes de futebol: mudam o técnico. Ele mudou o comando da Polícia Militar no Estado.
O governador Robinson Faria nomeou o coronel José Osmar Maciel de Oliveira como novo comandante da Polícia Militar do Rio Grande do Norte. A portaria foi publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (15). Osmar Maciel irá substituir o coronel André Azevedo que pediu exoneração do cargo.
O comandante que foi promovido ingressou na Polícia Militar em 1991. Assumiu o posto de aspirante a oficial da corporação em 1994, chegando a Coronel em 2016. "recebi com muita honra o convite do governador. Reconheço as dificuldades pelas quais passa a segurança pública no Rio Grande do Norte e o seu contexto nacional. Somos conscientes do grande desafio, mas com um trabalho em equipe e integrado, vamos enfrentar a criminalidade", declarou o comandante.
O coronel Osmar Maciel substitui o coronel André Azevedo, que vinha respondendo pela função desde dezembro de 2016. (Com informações do G1 RN). 

FELIZ DIA DOS PAIS

DOMINGO
13 AGOSTO


Parte do lucro do FGTS será paga a trabalhadores até o final de agosto

SÁBADO
12 AGOSTO
Uma boa notícia. 
Até o final de agosto, a Caixa Econômica Federal (Caixa) vai creditar R$ 7,8 bilhões nas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de 88 milhões de trabalhadores, como distribuição dos resultados do fundo. Com isso, a rentabilidade das 245,7 milhões de contas chegará a 7,14%.
Segundo dados divulgado pelo governo, o lucro líquido do FGTS no ano passado foi de R$ 14,555 bilhões. Com a distribuição dos resultados do fundo, serão creditados, em média, R$ 29,62 em cada conta.
“É a primeira vez que o lucro do fundo está sendo distribuído com os verdadeiros donos do dinheiro”, ressaltou o presidente Michel Temer.
“São décadas que os trabalhadores lutam para ter a remuneração do seu FGTS no mesmo nível da inflação. Com essa mudança, o FGTS terá 7,1% [de remuneração] e a inflação do ano passado foi de 6%. Depois de décadas o FGTS terá uma correção acima da inflação”, disse o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.
É a primeira vez que os resultados do FGTS são repassados aos trabalhadores. A medida foi instituída pela medida provisória que liberou o saque do valor das contas inativas do FGTS.
Pela regra, o percentual de distribuição de resultado do FGTS é de 50% do lucro líquido do exercício anterior. A lei estabelece que os valores creditados nas contas dos trabalhadores sejam proporcionais ao saldo da conta vinculada apurada no dia 31 de dezembro do ano anterior.
O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, informou que a distribuição dos resultados do FGTS ocorrerá anualmente, com os depósitos sendo efetuados sempre até o dia 31 de agosto. Occhi disse ainda que a remuneração não fará parte do cálculo de uma multa rescisória. “Essa medida foi pensado no empregadores. Temos convicção que com essa medida o trabalhador e a sociedade saem ganhando com essa decisão.”
De acordo com a Caixa, com a distribuição dos resultados do equivalente a 1,93%, a rentabilidade das contas do FGTS, nesse ano, sairá de 5,11% ao mês (3% mais TR), para 7,14% ao mês.(Fonte: Agência Brasil). 

Governo do RN paga nesta sexta-feira a quem recebe salários até R$ 3 mil

SEXTA-FEIRA
11 AGOSTO
O Governo do Rio Grande do Norte vai pagar nesta sexta-feira (11) o salário servidores públicos estaduais que ganham até R$ 3 mil. As informações foram confirmadas pelo próprio Poder Executivo.
Na terça-feira (15), ainda segundo a assessoria do Governo, serão depositados os salários de quem recebe até R$ 4 mil. 
Estes dois grupos de pagamentos representam um montante de R$ 133.826.460,51. (Fonte: Assessoria Governo do RN).  

FELIZ DIA DO ESTUDANTE

SEXTA-FEIRA
11 AGOSTO