MENU

Sete assessores de Flávio Bolsonaro fizeram depósitos para assessor pego pelo Coaf

Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro e o assessor Fabrício Queiroz: pessoa de confiança da família
SÁBADO
8 DEZEMBRO
A história vai ficando cada vez mais intrigante. Tudo leva a concluir que o ex-assessor não passava de um laranja da família Bolsonaro, toda locupletada na política. 
Sete servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que passaram pelo gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) fizeram transferências bancárias para uma conta mantida pelo ex-policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz.
O levantamento consta em um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda. 
Segundo o relatório, esses servidores transferiram no total 116.556 reais para a conta de Queiroz entre 1º de janeiro de 2016 e 31 de janeiro de 2017. 
O ex-PM trabalhou durante cerca de dez anos com Flávio e foi motorista dele na Alerj, tornando-se pessoa de fina confiança. 
Além desses sete servidores, o próprio Fabrício Queiroz depositou outros 94.812 reais nesta conta, mantida em uma agência do banco Itaú no bairro da Freguesia, zona oeste da capital fluminense.
O relatório foi produzido no âmbito da Operação Furna da Onça, que levou à prisão dez deputados estaduais do Rio em 8 de novembro. Flávio não é investigado pela operação. Contudo, todos os servidores da Alerj tiveram suas contas bancárias esmiuçadas pelo Coaf, a pedido da Polícia Federal.
Em fotos postadas por amigos nas redes sociais, o subtenente da Polícia Militar Fabrício José Carlos de Queiroz, de 53 anos, aparece como uma pessoa próxima da família Bolsonaro. Sua presença é registrada em jogos de futebol, atos de campanha e churrascos de confraternização.
Queiroz, como é conhecido, ganhou primeiro a confiança do presidente eleito, Jair Bolsonaro, antes de ir, há mais de dez anos, trabalhar no gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro, o filho mais velho de Jair.
A exoneração do subtenente só veio em 15 de outubro deste ano. Oficialmente, a versão é que ele saiu para tratar de sua ida para a reserva. Policial desde 1987, Queiroz já foi lotado no Batalhão Policial de Vias Especiais (BPVE). Há relatos, porém, de que a exoneração, a pedido, ocorreu após divergências na campanha de Flávio para o Senado.
No relatório em que cita a movimentação atípica de Queiroz, o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) informa que o policial militar tem renda mensal de R$ 23 mil, o que indica que acumulava os salários de subtenente e do gabinete, o que é permitido.
Família empregada
A mulher de Queiroz, Márcia Oliveira de Aguiar, e duas filhas, de um total de quatro, também foram lotadas no gabinete de Flávio. Márcia tinha salário bruto de R$ 9.835 entre março de 2007 a setembro do ano passado.
Nathália Melo de Queiroz, uma das filhas, trabalhou, entre setembro de 2007 a fevereiro de 2011, no gabinete da vice liderança do PP, partido de Flávio à época, com salário de R$ 6.490. Depois, passou pelo Departamento Taquigráfico e Debates e, em agosto de 2011, foi para o gabinete de Flávio, com salário de R$ 9.835, onde ficou até dezembro de 2016.
Nathália foi substituída pela irmã, Evelyn Melo de Queiroz. Nathália, que tem quase 15 mil seguidores no Instagram, estava lotada no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, mas deixou o cargo em 15 de outubro, mesmo dia em que o pai pediu exoneração.

Quatro agências bancárias são atacadas no RN na madrugada desta quinta-feira

QUINTA-FEIRA
6 DEZEMBRO
A situação está insustentável. Virou rotina explodir agência bancária do RN. 
Por volta das 02h40 da madrugada desta quinta-feira, 6, duas agências bancárias em Touros, litoral Norte do Estado, foram alvos da ação de bandidos armados com fuzis. 
De acordo com a Polícia Militar do município, cerca de dez criminosos divididos em dois carros atacaram uma agência do Banco do Brasil e outra da Caixa Econômica Federal, e explodiram os caixas. Os bancos não informaram as quantias levadas.
Ainda segundo a polícia, foi encontrada pelo menos uma dinamite no local. 
A polícia de Touros, que possui apenas uma viatura, ficou sitiada dentro da delegacia, uma vez que os criminosos passaram atirar contra o prédio durante a fuga para impedir uma reação. “Não deixaram a gente sair do pelotão, eles estavam atirando direto”, relatou o soldado Rocha, que ainda explicou que cápsulas de fuzil calibre 765 foram encontradas após o tiroteio.
Durante a fuga, os bandidos também jogaram grampos nas estradas que saem do município de Touros. A polícia informou que as saídas em direção à praia de Carnaubinha, do Cajueiro e Santa Luzia foram comprometidas. Após os criminosos fugirem, a polícia utilizou a viatura para percorrer as estradas e retirar os grampos, mas de acordo com os agentes, alguns motoristas desavisados acabaram passando por cima deles e tiveram seus pneus furados.
A capital potiguar também foi alvo de bandidos. Por volta das 4h desta quinta-feira, 6, uma agência do Banco do Brasil no bairro da Ribeira, zona Leste, foi atacada. Um dos caixas foi aberto com o auxílio de um maçarico, contudo, não houve confirmação se os criminosos conseguiram levar o dinheiro do banco. Esta é a segunda vez que a agência é arrombada em menos de um mês. Na primeira ocorrência, uma quadrilha quebrou a vidraça que servia como entrada da agência, por isso, o banco estava funcionando com uma porta de madeira improvisada, que foi facilmente violada pelos bandidos. Até o momento, ninguém foi preso.
Em Serra Caiada a ação ocorreu por volta das 3h. Assim como em Touros, dois carros foram utilizados na ação. A princípio, os bandidos se direcionaram ao pelotão da Polícia Militar, e colocaram grampos debaixo dos pneus das viaturas dos policiais para impedir uma perseguição. Em seguida, foram até uma agência do banco Bradesco, onde conseguiram explodir os caixas e fugiram com o dinheiro. Nenhum suspeito foi preso.

Morador de rua faz questão de pagar almoço em restaurante de bairro nobre de BH e ganha repercussão na web

QUARTA-FEIRA
5 DEZEMBRO
Aconteceu em Belo Horizonte. Me tocou, espero que toque você também e que, juntos, tiremos algum ensinamento do episódio. 
No início da tarde de terça-feira (4), um senhor chegou a um restaurante no Lourdes, bairro nobre da Região Centro-Sul de Belo Horizonte, pediu uma entrada com frango, um filé, uma garrafa de vinho e um refrigerante. Maltrapilho e descalço, ele carregava uma sacola de plástico e uma nota de R$ 50.
“O garçom veio me perguntar se ele poderia ser atendido. Eu respondi que sim. Se ele quer almoçar aqui, qual é o problema de estar malvestido?”, disse o dono do restaurante Benvindo, Gustavo Viana.
A advogada e professora Daniela Zapata estava almoçando com amigas quando viu o homem entrando no restaurante. "Ele foi atendido com tanta dignidade que a gente ficou com um sentimento de alegria. Ele fez questão de pagar e parecia que havia se preparado para ir ao restaurante", disse ela que contou a história em seu perfil no Instagram. Até o começo da tarde desta quarta-feira (5), a foto tinha mais de 15 mil curtidas em diferentes perfis do Instagram.
A imagem do morador de rua acabou viralizando na internet. “A gente ficou até assustado com a repercussão. Ele só quis almoçar e pagar por isso, né? Só isso”, disse Gustavo.
O homem se sentou em uma mesa e pediu o cardápio. “Eu até disse ao garçom que não precisava cobrar dele. Deixa ele comer, né? Fiquei com dó. Mas aí o garçom voltou dizendo que ele fazia questão de pagar. Achei muito bacana. Ele só queria ser tratado como um cliente qualquer”, contou o empresário
O prato mais barato do restaurante custa R$ 43. A conta dele ficou em R$ 130. Segundo Gustavo, o homem deu a nota de R$ 50 e o garçom ainda devolveu o troco. “A gente cobrou só o refrigerante que custa R$ 8. Ele só queria ser tratado com dignidade”, contou ele.
Daniela disse que ao chegar o troco, o homem ficou indignado porque sabia que tudo que havia consumido não valia menos de R$ 10. "Aí o garçom muito delicado disse que o restaurante não cobrou pelo serviço." (Fonte: G1.com)

No Brasil, quem tem diploma ganha mais que o dobro do trabalhador com ensino médio

QUARTA-FEIRA
5 DEZEMBRO
— O Brasil é um dos países mais desiguais do mundo e isso se reflete no mercado de trabalho — analisa Betina Fresnada, coordenadora de População e Indicadores Sociais do IBGE.
Daniel Cara, coordenador-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, diz que esse abismo pode ser explicado por três fatores. O primeiro deles é estrutural: o emprego, no Brasil, é bastante concentrado nos serviços, setor que exige pouca qualificação e tem um alto nível de informalidade. Logo, emprega muita mão de obra com ensino médio a baixos salários. O segundo é a deficiência da qualidade do ensino médio, pouco voltado para a formação para o mercado de trabalho, o que também desvaloriza os salários de ocupações que exigem essa qualificação. O terceiro trata-se de uma lógica de mercado. Como o grupo de pessoas com ensino superior é relativamente pequeno, são profissionais mais valorizados.
– O grande problema é que dentro do grupo dos que têm ensino superior a desigualdade também é grande porque a qualidade do ensino não é uniforme. Universidades públicas e algumas poucas privadas bem conceituadas concentram a minoria dos alunos. E são eles quem terão os salários mais altos em relação aos que estudaram nas demais – complementa Cara.
Para Marcelo Neri, diretor do FGV Social e estudioso do tema, essa desigualdade, além de gigantesca, tem se mostrado imutável. O prêmio médio da educação para o Brasil – que é quanto um ano médio a mais de estudo impacta a renda média – caiu nos últimos 20 anos no país. Exceto para quem tem nível superior.
– Subiu bastante nesse período o quanto a mais a pessoa que fez ensino superior vai ganhar em relação a quem tem o ensino médio – diz Neri.
Esse abismo, no entanto, não tem peso elevado sobre a desigualdade total de renda do país, em razão do grupo de universitários ser pequeno, na avaliação do diretor da FGV. De acordo com a pesquisa do IBGE, menos da metade (43%) dos brasileiros com ensino médio ingressou no ensino superior.
Para Neri, diminuir essa distância passa por aumentar a qualidade do ensino médio, tornando-o mais voltado à preparação para o mercado de trabalho:
– O problema é que toda a estratégia para o ensino médio é voltada para chegar à universidade, desprezando o ensino técnico, que dá bom retorno.O estudante é visto somente como um futuro universitário. Como se não tivesse outra opção. Mas só uma pequena parte vai para o ensino superior.
Ensino médio em escola privada dá vantagem
Com relação às chances de acesso à universidade, leva vantagem quem se forma em escola privada. De acordo com a pesquisa, de cada dez adolescentes que concluem o ensino médio em escola particular, 8 entram no ensino superior. Entre os estudantes que se formaram na rede pública, essa relação cai para menos de 4 (3,6).
– Pessoas de nível socioeconômico mais alto tendem a ter um maior grau de escolarização e, quase metade do desempenho educacional de uma pessoa pode ser explicado pelo dos pais. São essas pessoas que, majoritariamente, frequentam escolas privadas. Além disso, os pobres geralmente estão inseridos num contexto de violência, perdem dias de aula por conta de tiroteios nas comunidades onde moram, e em escolas com problemas de infraestrutura e qualidade dos professores.
Cara, da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, diz que, com a política de cotas (socioeconômicas e raciais) a tendência, com o passar dos anos, é essa diferença diminuir.
Os números divulgados pelo IBGE, por meio da Síntese, mostram que, de 2009 a 2016 a proporção de matrículas por cotas no ensino superior público mais do que triplicou. Em 2009 representavam 1,5% do total de inscritos. Esse percentual subiu para 5,2% sete anos depois.
Afazeres domésticos impedem mulheres de estudar
O mercado de trabalho é o principal motivo para jovens não estudarem. Na população com ensino médio completo e incompleto, os homens não estudavam principalmente por precisarem trabalhar, procurar trabalho ou aguardar início do trabalho (52,5% no primeiro grupo e 48,9% no segundo).
Esse motivo também se mostrou relevante para as mulheres (23,2% e 33,6% respectivamente), mas há um percentual consideravelmente maior delas que não estudavam devido à dedicação aos afazeres domésticos e cuidados. Esse motivo concentrou 39,5% das jovens sem ensino médio e 14,7% das jovens com ensino médio que não haviam concluído o ensino superior.
Aumento da escolaridade é lento
A pesquisa do IBGE também mostra que o ritmo de incremento do acesso ao ensino superior foi lento e insuficiente para garantir o aumento da escolaridade da população brasileira. Ela ainda está abaixo do que já foi alcançado pela maioria dos países analisados no relatório da OCDE.
No Brasil, a proporção de pessoas de 25 a 64 anos com pelo menos o ensino superior, em 2017, era de 17%, enquanto esse mesmo indicador para países membros da OCDE era de 30,3%, em média.
Mesmo para um grupo etário mais jovem, a distância entre o Brasil e a média dos países da OCDE permanece elevada. O percentual de pessoas de 25 a 34 anos com ensino superior completo em 2017 era de 19,7% no Brasil, praticamente a metade do percentual médio da OCDE (36,7%).
Com relação ao acesso à pré-escola, o Brasil está perto da média dos países da OCDE. A proporção de crianças com 4 anos de idade frequentando escola ou creche no Brasil era de 87,1% em 2017. Na comparação com países da organização, fica imediatamente abaixo da média (88%), ocupando o 27º lugar entre 35 países, à frente de Chile, Finlândia e Estados Unidos, por exemplo.
(Fonte: Jornal O Globo).

CNE aprova nova base nacional curricular para o ensino médio

TERÇA-FEIRA
4 DEZEMBRO
O Conselho Nacional de Educação (CNE) aprovou hoje (4) a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do ensino médio. O documento define o conteúdo mínimo que será ensinado em todas as escolas do país, no ensino médio, públicas e privadas.
Na prática, a BNCC deverá ser implementada até 2020. “A grande diferença do ensino médio a partir de agora é uma mudança, um ensino médio que não é mais o mesmo ensino médio para todo mundo. Ele precisa trabalhar com diferenças que existem do ponto de vista regional e até individual do próprio estudante”, diz o presidente da comissão da BNCC no CNE, Eduardo Deschamps.
A partir da BNCC, os estados, as redes públicas de ensino e as escolas privadas deverão elaborar os currículos que serão de fato implementados nas salas de aula. Para isso, terão dois anos.  
A BNCC tem como norte o novo ensino médio, aprovado em lei em 2017, que entre outras medidas, determina que os estudantes tenham, nessa etapa de ensino, uma parte do currículo comum e outra direcionada a um itinerário formativo, escolhida pelo próprio aluno, cuja ênfase poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.
“Vemos esse processo como um ganho para a educação brasileira”, diz a secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), Kátia Smole. Segundo ela,  governo se preparou para apoiar os sistemas de ensino e as redes estaduais no processo de implementação da BNCC. “Vamos seguir acompanhando enquanto estivermos aqui”, enfatiza.
Discussão
O documento foi aprovado hoje por 18 votos favoráveis e duas abstenções: do ex-presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), professor Chico Soares e da conselheira Aurina Santana.
A BNCC começou a ser discutida no governo de Dilma Rousseff e, após o impeachment, o documento foi modificado pelo governo de Michel Temer, o que gerou uma série de protestos. As sessões de discussão do documento no CNE têm sido conturbadas. Duas das cinco audiências públicas, em São Paulo e em Belém, foram canceladas.
Ontem (3), Chico Soares, que era relator do documento, deixou a relatoria. O Conselheiro Joaquim Soares Neto assumiu no lugar dele. “Sou completamente favorável a que haja uma Base que especifique os direitos do país, no entanto, nesse momento, estamos deixando de fora uma estrutura, para mim essencial”, disse Soares, que foi um dos únicos que se absteve na votação hoje. O conselheiro explica que a BNCC traz uma nova proposta de educação que não é mais estruturada em disciplinas, como é hoje.
Isso, segundo ele, encontrará várias barreiras para ser implementado, incluindo a alocação de professores. A BNCC não contempla os itinerários formativos que poderão ser escolhidos pelos estudantes. Nessa etapa da formação, a questão das disciplinas terá dificuldade maior de implementação, na avaliação de Soares.
Presente na reunião de hoje, a secretária-executiva do Movimento pela Base Nacional Comum Curricular, Alice Ribeiro, disse que houve avanços importantes comparando o documento da BNCC apresentado em abril e o documento final. Segundo ela, as redes de ensino passarão a contar com “a faca e o queijo na mão”, para implementar o novo ensino médio.
Implementação
Após revisão, a BNCC será encaminhada ao MEC e já tem data prevista para ser homologada, no dia 14 de dezembro. Junto com a homologação, segundo Kátia, o MEC apresentará os referenciais para que servirão de norte para as redes de ensino implementarem os itinerários formativos.
Os estados, que detêm a maior parte das matrículas do ensino médio, terão um ano para fazer o cronograma da implementação da BNCC e um ano para implementá-la, ou seja, o documento deverá chegar na prática, nas escolas, até 2020. Após a implementação, o documento será revisto em três anos, em 2023.
Ainda terão que ser adequados ao novo ensino médio, os livros didáticos, a formação de professores e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).Fonte: Agência Brasil.

UFRN oferece teste rápido e gratuito para HIV, sífilis e hepatites virais

TERÇA-FEIRA
4 DEZEMBRO
A Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Programa de Aconselhamento em Saúde, realiza durante o mês de dezembro atividades de prevenção e diagnóstico de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). 
Os eventos fazem parte das ações desenvolvidas pela instituição acadêmica para a promoção da saúde e do bem-estar da comunidade universitária, que serão intensificadas no Dezembro Vermelho, mês de conscientização e combate a aids.
Diante disso, nesta terça-feira, 4, às 14h, na sala de espera da diretoria de atenção à saúde do servidor (DAS), acontece uma roda de conversa sobre ISTs, com a participação do pediatra e infectologista Francisco Americo Micussi, além de membros do Hospital Giselda Trigueiro – principal referência no Estado no diagnóstico e tratamento de doenças infectocontagiosas. O evento é aberto ao público em geral, sem necessidade de cadastramento prévio.
De acordo com a psicóloga da UFRN Angélica Aires, que também é coordenadora do Programa de Aconselhamento e Saúde, a iniciativa já acontece desde 2012 na universidade. 
“O público terá acesso a informações e experiências de quem convive com o HIV. Estamos intensificando nossas ações de prevenção no Dezembro Vermelho. Contudo, o maior problema no Brasil está sendo a questão do diagnóstico tardio. Muitos que procuram os serviços de saúde pública já chegam com HIV ou Aids. Portanto, quanto mais rápido a pessoa tiver um diagnóstico, mais cedo será o tratamento”, explicou.
Na quinta-feira, 6, das 14h às 17h30, a DAS realizará os exames de testagem rápida de HIV I e II, sífilis e hepatites virais tipos B e C. A consulta possui apenas 40 vagas disponíveis e os interessados devem fazer o agendamento prévio pelo telefone 3342-2330, ramal 371. “Em 2017, realizamos um total de 472 testes em várias ações. Essas testagens são feitas tanto na comunidade acadêmica, como no público em geral”.
Nos últimos dez anos, o Rio Grande do Norte teve um incremento de 68% no índice de detecção de casos de aids, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 27, pelo Ministério da Saúde através do boletim epidemiológico do vírus HIV. O índice, que era de 11,3 casos para cada 100 mil habitantes em 2007 subiu para 18,9 casos no ano passado.
De acordo com o órgão federal da Saúde, neste quesito, o Rio Grande do Norte só perde para três estados: Tocantins, que teve aumento de 148%; Alagoas, que registrou incremento de 77%; e Maranhão, que teve 69% de variação positiva. Empatado com o RN está o estado do Amapá. (Fonte: Assessoria).

Academia Macauense de Letras empossa diretoria e membros

TERÇA-FEIRA
4 DEZEMBRO
Na próxima quinta-feira, 6, a Academia Macauense de Letras e Artes realiza sessão solene de posse de seus membros perpétuos e também de sua diretoria. 
O presidente é o poeta Horácio de Paiva Oliveira. 
A Academia de Macau é a mais nova entidade cultural do Rio Grande do Norte.
SOBRE O PRESIDENTE
Horácio de Paiva Oliveira (foto) nasceu em Macau, RN, em 1945. Publicou o seu primeiro poema aos 16 anos. Aos 18, com outros jovens escritores, criou em Natal o “movimento dos novíssimos”, que mantinha uma coluna literária no antigo jornal católico “A Ordem” (“Coluna dos novíssimos”). A vida intensa dedicada ao movimento social retardou o lançamento de seu primeiro livro de poesias (“Navio entre espadas”), que somente veio a lume em 2002. Está incluído na antologia “Geração alternativa (antilogia poética potiguar)”, organizada pelo escritor J. Medeiros e editada em 1997. Participou, depois, de uma coletânea macauense de versos, chamada “A escola de Macau”, e publicada em 2003. Em 2012 lançou seu livro de poemas “A Torre Azul”. Tem prontos, ainda a serem publicados, os livros de poesia “Caderno do Imaginário” e “Sou de Deus”.

Fátima Bezerra aponta quais missões confiará a seu secretário de Educação

QUINTA-FEIRA
29 NOVEMBRO
A governadora eleita do Rio Grande do Norte, senadora Fátima Bezerra, anunciou nesta quinta-feira (29) o nome do futuro secretário de Educação do Estado: Getúlio Marques Ferreira. 
O professor aposentado pelo Instituto Federal do RN (IFRN) é o idealizador do programa de expansão da educação tecnológica instituído no Brasil pelo Governo Lula, por meio de emenda ao Plano Plurianual (PPA) da então deputada federal Fátima Bezerra.
Fátima destacou que a experiência e sensibilidade social do professor Getúlio, já demonstradas nos exercícios de suas funções, contribuirão para o novo rumo da educação que se pretende implantar no Estado, com inclusão e oportunidades. 
“Será essencial na conquista do sonho de termos mais creches, mais educação de tempo integral. Pela reestruturação do ensino médio com ensino técnico e profissionalizante. Na luta incansável pelo novo Fundeb, para que os estados e municípios, especialmente do Nordeste e do Norte, possam cumprir com as metas de expansão, fortalecimento e melhoria da qualidade da educação no nosso estado. Pelo fortalecimento da Uern e pela valorização dos nossos professores“, assinalou a governadora eleita, ao falar sobre o futuro auxiliar.
Getúlio Marques destacou que os indicadores educacionais põem o estado em uma posição desconfortável em nível nacional e na região Nordeste, mas disse que a equipe da governadora eleita está preparada para enfrentar este desafio de reverter esta situação e melhorar a qualidade da educação no Rio Grande do Norte. 
“Buscaremos parcerias com as instituições de educação, com as federações e sociedade civil organizada. A integração da educação, cultura e esporte com a ciência e tecnologia, as políticas educacionais voltadas para a inclusão, diversidade e apoio às classes mais vulneráveis estarão presentes em nosso trabalho. O espaço de diálogo permanente com os profissionais da educação será fundamental para que, juntos, participemos de um processo de verdadeira revolução na educação do nosso Estado. É uma honra estar nessa equipe”, destacou o professor.
Getúlio Marques Ferreira, professor aposentado do IFRN, foi o coordenador do processo de concepção, criação e expansão dos Institutos federais em nível nacional. Trabalhou como Técnico e Engenheiro no Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), foi diretor de Ensino e Diretor Geral do CEFET/RN, vice-presidente da AFURN e secretário Geral do SINTEST/RN. No Ministério da Educação, foi coordenador de Orçamento e Planejamento, diretor da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica e secretário adjunto da Secretaria de Ensino Tecnológico (SETEC/MEC). 
É engenheiro, especialista em Engenharia de Sistemas e Mestre em Engenharia da Produção.

Preso pela PF o governador do Rio de Janeiro, Fernando Pezão

QUINTA-FEIRA
29 NOVEMBRO
O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, foi preso por volta das 6h desta quinta-feira (29) no Palácio Laranjeiras, residência oficial do chefe do estado. A operação é baseada na delação premiada de Carlos Miranda, operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral, que está preso. Também há buscas no Palácio Guanabara, sede do governo, e na casa de Pezão em Piraí, no Sul do estado, base do governador.
Além de Pezão, a força-tarefa da Lava Jato tenta prender outras oito pessoas. A ordem de prisão preventiva foi expedida pelo ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), onde governadores têm foro. Com a prisão de Pezão, assume Francisco Dornelles, seu vice.
Além da prisão de Pezão, a ação tem como alvo o atual secretário estadual de Obras do Rio, José Iran Peixoto. Há buscas e apreensão na casa de Hudson Braga, que foi secretário de Obras durante o governo de Sérgio Cabral.
Carlos Miranda detalhou o pagamento de mesada de R$ 150 mil para Pezão na época em que ele era vice do então governador Sérgio Cabral. Também houve pagamento de 13º de propina e ainda dois pagamentos de R$ 1 milhão como prêmio. A ação é mais uma etapa da Lava Jato no Rio de Janeiro.
Segundo o depoimento à Justiça, o “homem da mala” do ex-governador Sérgio Cabral disse que o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, guardou R$ 1 milhão em propina com um empresário do Sul Fluminense.
O trecho da delação, homologada pelo ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, foi revelado pelo jornal O Globo em abril.
O dinheiro vinha de empreiteiras e fornecedoras que tinham contrato com o governo do estado, afirmou o delator. Miranda acrescentou ainda que, de 2007 a 2014, Pezão, na época vice-governador, também ganhou um 13º salário, além de dois bônus, de R$ 1 milhão cada.
Nas duas ocasiões, o governador negou as acusações. Sobre a mesada, Pezão disse que “as afirmações eram absurdas e sem propósito”. “O governaor afirma que jamais recebeu recursos ilícitos e já teve sua vida amplamente investigada pela Polícia Federal”, disse a nota.

Na UFRN prossegue até sexta-feira o IV ENCONTRO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EJA EM MOVIMENTO

QUINTA-FEIRA
29 NOVEMBRO
Prossegue nesta quinta-feira, 29, no Centro de Educação da UFRN o IV ENCONTRO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EJA EM MOVIMENTO. O evento, que também é aberto a estudantes matriculados nas licenciaturas e que se identifiquem ou se preocupam com a temática, tem uma agenda de atividades bem diversificada, com Oficinas Pedagógicas pela manhã, Relatos de Experiências durante as tardes e Mesas Redondas à noite. Professores e pesquisadores da Educação de Jovens e Adultos tem participado ativamente do evento, que acontece no Centro de Educação da UFRN, localizado próximo ao Setor II do Campus Universitário.  
A programação para esta quinta-feira é a seguinte: 
8h, Oficinas Pedagógicas
OF2 - A Pesquisa como princípio educativo: a experiência de Florianópolis-SC.
OF 3 - O Desenho como ato corporal. 
OF 4 - Cultura maker – Da teoria à mão na massa!
OF 6 - O Corpo em movimento: o jogo improvisacional como experiência estética no teatro.
14h, Relatos de Experiências
"Uso de Metodologias Ativas na Educação de Jovens e Adultos"
autoria: Daliana Gonçalves Onofre da Silva e Simone Lira Lopes Leite
"O Despertar da leitura na Educação de Jovens e Adultos"
autoria: Marinalda Cassiano Souto e Alexsandra Adelide Elias
"A Importância do conhecimento significativo para os processos de ensino e aprendizagem na Educação de Jovens e Adultos: uma experiência do estágio para a formação de professores"
autoria: Ana Beatriz Santos de Sousa e Elnatan Ferreira de Souza Campos
"A Prática Escolar na visão da coordenação pedagógica - formação em serviço aos professores/EJA"
autoria: Maria de Lourdes Gabrial Ferreira Soares
"Perfil do alunado EJA do municípío de São Gonçalo do Amarante" de autoria de Veronica Maria Oliveira de Souza e Leia de Andrade Rodrigues
Às 19hs haverá a Palestra: "Qual Formação para professores da EJA?", com a Professora Maria Aparecida Zanetti (UFPR).
SEXTA-FEIRA
Na sexta feira, à tarde, haverá a exibição de um documentário produzido pelo Observatório da Juventude da UFF, sobre as juventudes na EJA, intitulado "Fora de Série", seguido de debate.
Na sexta feira haverá, também, uma exposição de trabalhos desenvolvidos por municípios cujos professores participam do Projeto de Extensão EJA em Movimento.
Durante o evento serão recolhidas assinaturas dos participantes em relação a um documento que será encaminhado à nova governadora eleita do nosso Estado, Fátima Bezerra, solicitando apoio na defesa do direito à EJA. O documento encontra-se disponível em: https://peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR108827 para assinatura. Ele será lido e após recolhidas as assinaturas e entregue à nova governadora.

Santa Cruz: prefeita, vice e seis vereadores tem mandatos cassados

QUARTA-FEIRA
28 NOVEMBRO
O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) cassou na noite de terça-feira (27) o mandato da prefeita e vice-prefeito do município de Santa Cruz/RN (16a zona eleitoral), Fernanda da Costa Bezerra (foto) e Ivanildo Ferreira Lima Filho, em virtude da prática de abuso de poder político com repercussão econômica nas eleições de 2016. 
A corte eleitoral determinou o imediato afastamento da prefeita e vice-prefeito. Dessa forma, o presidente da Câmara Municipal assume provisoriamente a prefeitura até a realização de novas eleições.
O processo, sob relatoria do juiz e membro da corte, Wlademir Capistrano, visou julgar o esquema de distribuição de cotas, para aquisição de medicamentos, a vereadores e apoiadores da então perfeita. A decisão da corte englobou também outros 11 envolvidos, são eles:
Os vereadores Tarcísio Reinaldo da Silva, Ana Fabrícia de Araújo Silva Rodrigues de Souza, Mário Augusto Ferreira de Farias Guedes, Jefferson Monik Gonçalo Lima de Melo, Thiago Augusto Fonseca Gomes e Raimundo Fernandes Soares, resultando na cassação de seus diplomas e afastamento dos cargos, bem como na inelegibilidade declarada por 8 anos. Assumem, portanto, os respectivos suplentes.
E também Francisca Frassinete Dantas Gomes e Marcos Antônio Gomes dos Santos (Proprietários da farmácia), Myllena Sanneza de Lima Bulhões Ferreira (Secretária de Saúde) e Sueli Gomes Crisanto Reinaldo (Secretária de Finanças), Acrísio Gomes Júnior (ex-vereador e pai do atual vereador Thiago Fonseca) e Genaro Fernandes da Silva Filho, todos com inelegibilidade declarada por 8 anos.
De todos os citados, o vice-prefeito Ivanildo Ferreira Lima Filho é o único que não está inelegível, uma vez que não participou diretamente do esquema. Ainda assim, ele perde o mandato por fazer parte da chapa eleita.
O Desembargador Glauber Rêgo e a juiza eleitoral Adriana Magalhães foram votos divergentes apenas quanto ao afastamento imediato dos cargos.

Gastos no exterior no cartão serão fixados em real do dia da compra

QUARTA-FEIRA
28 NOVEMBRO
Ao menos uma medida positiva em prol dos cidadãos, já tão penalizados com ações que só vêm para prejudicar. Mesmo assim, teremos que esperar até março de 2020. É mole? 
Os gastos feitos em moeda estrangeira nos cartões de crédito internacionais terão seu valor fixado em reais pela taxa de conversão vigente no dia de cada gasto realizado. A medida foi anunciada nesta quarta-feira (28) pelo Banco Central (BC) e passa a valer a partir a partir de 1º de março de 2020.
Dessa forma, diz o BC, o cliente ficará sabendo já no dia seguinte quanto vai desembolsar em reais, eliminando a necessidade de eventual ajuste na fatura subsequente.
“A medida aumenta a previsibilidade para os clientes em relação ao valor a ser pago, evitando o efeito da variação da cotação da moeda estrangeira entre o dia do gasto e o dia de pagamento da fatura”, explicou o BC, em nota.
Além disso, acrescenta o BC, a medida aumenta transparência e a comparabilidade na prestação do serviço, padronizando as informações sobre o histórico das taxas de conversão nas faturas que terão que ser divulgadas em formato de dados abertos, de forma que os rankings de taxas possam ser estruturados e divulgados.
Para a sistemática de fixação do valor em reais na data do gasto, a fatura terá que apresentar, além da identificação da moeda, a discriminação de cada gasto na moeda em que foi realizado e o seu valor equivalente em reais e as seguintes informações adicionais: data, valor equivalente em dólares (quando a moeda usada na compra for diferente de dólar) e a taxa de conversão do dólar para o real.
De acordo com a circular, as instituições poderão ofertar ao cliente sistemática alternativa de pagamento da fatura pelo valor equivalente em reais no dia de seu pagamento. Nesse caso, diz a circular, o cliente terá que aceitar “expressamente” essa opção.
Segundo o presidente do BC, Ilan Goldfajn, que apresentou hoje (28) avanços da Agenda BC+ (formada por medidas para tornar o crédito mais barato, aumentar a educação financeira, modernizar a legislação e tornar o sistema financeiro mais eficiente), a medida vai demorar mais de um ano para ser implementada pelas instituições financeiras. 
“Algumas instituições já oferecem, outras ainda precisam mudar o sistema. O consumidor vai se sentir mais confortável em saber na hora da compra quando ele gastou. É uma medida que facilita a vida do cidadão”, disse. (Fonte: Agência Brasil)

Ministério da Educação libera R$ 3,2 milhões para o ensino integral no RN

QUARTA-FEIRA
28 NOVEMBRO
O Ministério da Educação (MEC) liberou a transferência de R$ 3,2 milhões em recursos para as escolas de ensino médio integral no Rio Grande do Norte. O valor é uma complementação do pagamento da primeira parcela de recursos correspondentes a 2019.
De acordo com o Ministério da Educação, os recursos devem ser utilizados com as despesas para a manutenção das escolas de ensino médio integral, que incluem a remuneração e o aperfeiçoamento do pessoal docente e demais profissionais da educação.
Uma das metas do Plano Nacional de Educação (PNE) é garantir que a educação em tempo integral esteja disponível em, no mínimo, 50% das escolas públicas, atendendo a pelo menos 25% dos estudantes da Educação Básica do País até 2019. O Rio Grande do Norte tem 29 escolas de tempo integral. (Fonte: Assessoria MEC). 

PRF abre concurso para 500 vagas de policial rodoviário

QUARTA-FEIRA
28 NOVEMBRO
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) divulgou edital de concurso público para 500 vagas de policial rodoviário federal. O salário é de R$ 9.473,57.
Do total de vagas, 100 são reservadas para candidatos negros e 33 para pessoas com deficiência.
Os candidatos devem ter graduação de nível superior em qualquer área e Carteira Nacional de Habilitação no mínimo de categoria "B" e que não possua observação de adaptação veicular ou restrição de locais e horário para dirigir.
O policial rodoviário tem jornada de 40 horas semanais e realiza atividades de natureza policial envolvendo fiscalização, patrulhamento e policiamento ostensivo, atendimento e socorro às vítimas de acidentes rodoviários e demais atribuições relacionadas com a área operacional da PRF.
As inscrições devem ser feitas de 3 a 18 de dezembro pelo site http://www.cespe.unb.br/concursos/prf_18
A taxa é de R$ 150,00.
Podem pedir isenção da taxa candidatos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), membros de família de baixa renda ou doadores de medula óssea em entidades reconhecidas pelo Ministério da Saúde.
Locais das vagas:
Acre (17 vagas)
Amapá (28 vagas)
Amazonas (23 vagas)
Bahia (17 vagas)
Goiás (27 vagas)
Maranhão (18 vagas)
Mato Grosso (9 vagas)
Mato Grosso do Sul (35 vagas)
Minas Gerais (57 vagas)
Pará (81 vagas)
Piauí (22 vagas)
Rio de Janeiro (10 vagas)
Rio Grande do Sul (74 vagas)
Rondônia (15 vagas)
Roraima (23 vagas)
São Paulo (19 vagas)
Tocantins (25 vagas)
A unidade de lotação do candidato estará vinculada à UF de vaga escolhida no momento da inscrição. O ocupante do cargo permanecerá preferencialmente no local de sua primeira lotação por um período mínimo de três anos, exercendo atividades de natureza operacional voltadas ao patrulhamento ostensivo e à fiscalização de trânsito, sendo sua remoção condicionada a concurso de remoção, permuta ou ao interesse da administração
Etapas do concurso
O concurso terá duas etapas. A primeira etapa compreenderá as seguintes fases:
*prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*exame de capacidade física, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*avaliação de saúde, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*avaliação psicológica, de caráter eliminatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*avaliação de títulos, de caráter classificatório, de responsabilidade do Cebraspe;
*investigação social, de caráter eliminatório, de responsabilidade da PRF
A segunda etapa será o curso de formação profissional, a ser realizado em locais previamente indicados no edital de convocação.
A prova objetiva e a prova discursiva terão a duração de 4 horas e 30 minutos e serão aplicadas na data provável de 3 de fevereiro de 2019, no turno da tarde. Na data provável de 30 de janeiro de 2019, será publicado no endereço eletrônico http://www.cespe.unb.br/concursos/prf_18 o edital que informará a disponibilização da consulta aos locais e aos horários de realização das provas.
A prova objetiva terá questões de língua portuguesa, raciocínio lógico-matemático, informática, noções de física, ética no serviço público, geopolítica brasileira, história da PRF, legislação de trânsito, noções de direito administrativo, noções de direito constitucional, noções de direito penal e de direito processual penal, legislação especial e direitos humanos e cidadania.
Todas as fases da primeira etapa, a avaliação biopsicossocial dos candidatos que solicitarem concorrer às vagas reservadas às pessoas com deficiência e o procedimento de verificação da condição declarada para concorrer às vagas reservadas aos candidatos negros serão realizadas na capital da UF escolhida para lotação. (Fonte: Assessoria PRF). 
SERVIÇO:
Polícia Rodoviária Federal (PRF)
Inscrições: de 03/12 a 18/12
Vagas: 500
Salário: R$ 9.473,57

Nesta quarta: Conferência de encerramento do Intercrítica, no IFRN Natal

Emir Simão Sader
Domingos Lima Filho
QUARTA-FEIRA
28 NOVEMBRO
Acontece nesta quarta-feira, 28, no Auditório Central do IFRN Campus Natal Central , a partir das 15h50min às 17h20min a Conferência de encerramento do INTERCRITICA: Luta de classes e perspectivas sociais, políticas e econômicas para a sociedade brasileira, com o pesquisador Emir Simão Sader, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro -UERJ e com o Coordenador Domingos Lima Filho – GT09 Anped – UTFPR. 
Tendo como tema central “As categorias fundantes do materialismo histórico-dialético no século XXI”,  o IV Intercâmbio Nacional dos Núcleos de Pesquisa em Trabalho e Educação – INTERCRÍTICA - acontece desde a segunda-feira, 26, até esta quarta, 28 de novembro de 2018, no auditório do Campus Natal-Central.
Histórico
O INTERCRÍTICA – Intercâmbio Nacional dos Núcleos de Pesquisa em Trabalho e Educação é um encontro de trabalho e troca de experiências entre os grupos de pesquisa vinculados ao GT Trabalho e Educação (GT 09) da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação – ANPEd. 
Constitui um fórum de discussão sobre as relações entre o trabalho e a educação, enfocando temáticas como: trabalho na sua dimensão ontológica e nas suas formas históricas, formação profissional e sindical, reestruturação produtiva, organização e gestão do trabalho, trabalho e escolaridade, trabalho e educação nos movimentos sociais, trabalho docente, dentre outras.
O I INTERCRÍTICA ocorreu em 2002, em Niterói (RJ), organizado pelo NEDDATE/UFF (Núcleo de Estudos, Documentação e Dados sobre Trabalho e Educação). 
No evento, os grupos de pesquisa em trabalho e educação reuniram-se apresentando seus percursos históricos, linhas de pesquisa e atuação, vínculos institucionais e associações interinstitucionais e referenciais teórico-metodológicos. 
Como o II INTERCRÍTICA foi realizado em 2014, durante esse intervalo de tempo a interlocução entre grupos e pesquisadores ocorreu nas reuniões nacionais da ANPEd e em outros espaços. O II
INTERCRÍTICA ocorreu na Universidade Federal do Pará (UFPA), de 26 a 28 de agosto de 2014, em Belém, organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Trabalho e Educação – GEPTE/UFPA, tendo como tema central “Por uma (nova?) pauta para a Pesquisa em Trabalho e Educação no Brasil”. 
Em seguida, durante a 37ª Reunião Nacional da ANPEd, realizada em Florianópolis, em 2015, o GT 09 aprovou a realização do III INTERCRÍTICA em Curitiba. O evento correu entre 28 e 30 de setembro de 2016, foi organizado pelo Grupo de Estudos e Pesquisas em Trabalho, Educação e Tecnologia – GETET/UTFPR, situado no Programa de Pós-Graduação em Tecnologia e Sociedade, da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, em Curitiba, tendo como temática central “Educação e Luta de Classes”. (Fonte: Site do evento).